A UAb aposta na digitalização do seu arquivo audiovisual

No dia 30 de novembro comemorou-se o Dia Internacional da Preservação Digital. Esta celebração que ocorre anualmente na última quinta-feira do mês de novembro propõe que, à escala global, indivíduos e instituições desenvolvam ações de promoção e divulgação do trabalho realizado em torno da preservação e da promoção do acesso a coleções digitais.

A preservação da informação publicada online acrescenta valor às organizações, aos percursos profissionais e à investigação.

Os arquivos funcionam como guardiões da nossa memória coletiva, e constituem um património que deve ser acessível a todos.

Para assinalar a data, a Universidade Aberta (UAb) destaca o processo de digitalização do seu arquivo audiovisual iniciado em 2014, que disponibiliza atualmente um acervo de aproximadamente 800 conteúdos digitalizados.

O Arquivo Audiovisual da UAb é constituído pela produção da Universidade Aberta bem como das Instituições que a antecederam, nomeadamente: Instituto de Meios Audiovisuais (IMAVE), Instituto de Tecnologia Educativa (ITE) e o Instituto Português de Ensino a Distância (IPED) e o Projeto UA (PUA).

O acervo resulta do armazenamento não sistemático de suportes dos documentos audiovisuais produzidos ao longo do tempo. Desde 2010, ano em que foi integrado nos Serviços de Documentação, que a UAb assumiu o compromisso de transformar o acervo num recurso apelativo, dinâmico e eficaz no acesso e disponibilização da informação, e ainda assegurar a salvaguarda e preservação a longo prazo dos conteúdos em depósito. A digitalização, assumida como um caminho para a sobrevivência, foi a opção efetuada.

O trabalho desenvolvido no âmbito da salvaguarda, conservação e preservação do acervo tornou possível a definição da arquitetura conceptual do Arquivo Audiovisual.

Em função da data de produção, foram reconhecidas duas grandes áreas: “Memória” – documentos produzidos pelas instituições que antecederam a criação da UAb e “Universidade Aberta” – documentos produzidos depois da criação da Universidade. Todos os documentos foram organizados hierarquicamente por série e subsérie.

O conhecimento do acervo, adquirido na avaliação, seleção e tratamento documental, e a afetação de equipamento específico, possibilitou que no final de 2014 se desse início ao processo de digitalização sistemática dos documentos audiovisuais, em suporte tradicional.

Ao potenciar a divulgação, o acesso e a (re)utilização pelos utilizadores, pretende-se valorizar o próprio acervo. O lema da UAb é digitalizar para preservar e assim valorizar o acervo audiovisual.

A disponibilização dos conteúdos efetua-se no âmbito do projeto Recursos Educacionais Abertos (REA). Os documentos estão organizados por comunidades temáticas e todos eles possuem metadados que asseguram a sua autenticidade, compreensão e utilização, nomeadamente no que concerne ao direito de autor, a utilização legal e legítima em contexto educativo e as licenças Creative Commons (CC).

Importa referir que a sustentabilidade deste projeto assenta no estabelecimento de protocolos, parcerias, e integração em redes, nacionais e internacionais de disponibilização de recursos educacionais abertos. Dessa forma, para além do Arquivo Audiovisual, os conteúdos do Arquivo estão disponíveis em: