Qual a grafia correta?

Os erros ortográficos são um péssimo cartão-de-visita, sobretudo quando acontecem na esfera profissional. Para além de prejudicarem a nossa imagem, podem também interferir na credibilidade da instituição onde trabalhamos. Todos temos dúvidas na hora de escrever certas palavras. Ter dúvidas é normal e saudável. E a melhor forma de as eliminar é consultar um dicionário ou prontuário, que atualmente está à distância de um clique. Não ter dúvidas é que leva, muitas vezes, ao erro. Qual a grafia correta? Porque respeitamos muito a língua portuguesa, compilámos um conjunto de erros de português mais comuns que nos podem ajudar a todos.

#1 – Concerteza* ou Com certeza?

A grafia correta é “com certeza”. Trata-se de uma locução adverbial constituída pela preposição “com” e pelo nome “certeza”, pelo que não devemos juntar os dois elementos numa só palavra. Exemplo: Esta é, com certeza, a melhor feijoada que eu já comi!

#2 – A fim (de) ou Afim?

Ambas as palavras estão corretas, mas os significados são diferentes. Tudo depende do contexto. “Afim” é um adjetivo e significa que tem afinidade, parentesco ou semelhança. Exemplos: Políticas Agrícolas e afins; Amigos afins. “A fim de” é uma locução, escreve-se com os elementos separados, equivale a “para” e “para que”. Exemplos: Saiu a fim de tomar café; Escondeu-se atrás da mesa, a fim de não ser visto.

#3 – Bem-vindo,  Benvindo ou Bem vindo* ?

“Benvindo” (ou “Benvinda”) apenas se escreve assim quando é um nome próprio, por esse motivo com maiúscula inicial. Se tiver o sentido de saudação, deve escrever-se com hífen. Exemplo: Seja bem-vindo a Lisboa!

#4 – Supérfluo ou Supérfulo* ?

“Supérfluo” é a forma correta; significa “desnecessário” ou“dispensável”. Exemplo: No Natal, não faças gastos supérfluos!

#5 – Privilégio ou Previlégio* ?

Tanto a palavra “privilégio” como todas as palavras da mesma família como privilegiado, privilegiar começam com a sílaba “pri”.

#6 – Há ou À?

A confusão entre o   (verbo haver) e o à  (preposição) é muito frequente. O nosso conselho é: substitua a expressão pelo verbo ”existir”, se fizer sentido, deve usar a grafia “há”. Exemplos: vários dias que não choveA UAb foi fundada 32 anos; Tripas à moda do Porto.

#7 – Ir de encontro  ou  Ir ao encontro de?

Quando escrevemos “ir de encontro” queremos dizer que vamos contra, ou seja o oposto de estar em sintonia com a outra parte. Exemplo: O carro despistou-se e foi de encontro à parede. A expressão que devemos utilizar para dizer que estamos de acordo é “ir ao encontro de”. Exemplo: A resposta foi ao encontro das suas expetativas.

#8 – Círculo vicioso ou Ciclo vicioso* ?

Utilizada com muita frequência, a expressão “ciclo vicioso” está errada. A forma correta é “círculo vicioso”. Quando se diz círculo vicioso está-se a associar à ideia de uma circunferência, que por definição é viciosa (não tem princípio nem fim), ao contrário de um ciclo que é um conjunto finito de acções, acontecimentos ou transformações, passíveis de repetição.

#9 – Obrigatóriamente* ou Obrigatoriamente?

Todos os advérbios de modo que terminam em “mente” não levam acento. Exemplos: obrigatoriamente, gratuitamente, rapidamente, acentuadamente, facilmente, felizmente.

#10 – Ás  ou Às?

“Ás” com acento agudo é usado quando nos referimos ao “ás de espadas” ou quando nos referimos a alguém que é exímio em  determinada atividade, como por exemplo o João é um ás em matemática. Quando nos referimos a espaço ou tempo o acento deve ser grave (às). Exemplos: Temos reunião das 14h00 às 15h00; Quando cheguei à praia, estava a chover.

#11 – Contatos ou Contactos?

No âmbito do Novo  Acordo Ortográfico, ambas as grafias são usadas. Contudo, como em Portugal se pronuncia a consoante “c”, o correto é escrever-se “Contactos”. No Brasil é usada a grafia “contato”.

____

*Estas palavras estão incorretas.

 

(Atualizado em outubro de 2020)